domingo, 24 de agosto de 2008

POEMAS DA BUGRA LOBA


Aqui jaz o sol
Ou talvez a lua
Ou as estrelas
Apenas jaz
Aqui jaz
ironias
zás-trás
Cintilam no horizonte
Brilhos difusos
Melodias opacas
Transcendem as luzes
Que insistem
E brilham
E cegam
Cegos
Vêem o breve
Mutável, plano
Palpável
Ver o luar
Noite escura
Sentir o vácuo
Estar a dormir
Aluir em sonhos
Cubículos hilários
Nesgas de aljofre
A zanzar
Um zéfiro traz
Desnudar

Um comentário:

SAMUEL MAGELA disse...

queria te parabenizar pelos belos posts e dizer que a parte de e-books é simplesmente maravilhosa...
só tenho uma dúvida, no e-books 4 constam os mesmos e-books das outras partes??
se puder responder, meu e-mail é s.ribeiro@epgnet.com.br
obrigado e mais uma vez parabéns

Poemas da Bugra Loba

Bastava um olhar maroto Um toque sutil um sorriso matreiro um sopro leve ao ouvido uma voz entre linhas E cairia para sempre o medo de ser ridícula.

Oca

Oca

Oca da Bugrinha

Oca da Bugrinha