segunda-feira, 9 de julho de 2007

POESIA AFRICANA


Eugenia Neto (Portugal/Angola)

"Poema á Mãe Angolana”

Avança Mãe Angolana

E dá o melhor de ti própria

Nesta luta de vida ou de morte

Avança pelos rios perigosos

Pelos pantanos lodosos

Pela savanas sem fim

Avança pelo incomensurável horror da guerra

Entre a chuva de bombas que ilumina a terra

Mas avança porque é necessário

Avança com teus braços feitos asas

Abertas sobre o solo pátrio

Para proteger os teus filhos

Não te detenhas nos gemidos do vento

Não prendas à forma das flores

Sublima o amor neste momento

Avança Mãe Angolana

Que a tua coragem fará vacilar os soldados

Os soldados que já foram meninos

Os soldados

A que o fascismo tolheu a vontade

E que caminham sobre os cadáveres das crianças

Com risos sarcasticos de vingança...

Avança Mãe Angolana

Na terra ensopada de sangue

Dor e lágrimas

Causadas pela guerra

Que ela florescera

Sustentada pelo teu querer

E terás para os teus filhos

O sol aberto nas pétalas

E a serenidade dos herois

Depois de ganha a batalha.

Um comentário:

Alvaro disse...

Belíssimo poema!

Poemas da Bugra Loba

Bastava um olhar maroto Um toque sutil um sorriso matreiro um sopro leve ao ouvido uma voz entre linhas E cairia para sempre o medo de ser ridícula.

Oca

Oca

Oca da Bugrinha

Oca da Bugrinha