sábado, 16 de junho de 2007

POEMAS DA BUGRA LOBA

Invejo os céus que demonstram naturalmente seus sentimentos.
Quando alegres nos dão dias lindos de sol brilhante e noites estreladas,
Quando tristes choram dia e noite

Nem tudo está perdido. Os olhares ainda se encontram.
ainda existe a magia do olhar,

a incerteza do ser humano sobre o outro.

Um cristal raro e preste a se quebrar.

Um leve sopro, qualquer movimento,

E ele se quebrará.

Tem que ter delicadeza para tocar,

Sensível, prestes a cair em pedacinhos ao chão.

E ninguém vai conseguir colar.

Um comentário:

Alvaro disse...

Um Lobo da Estepe vagueia a esmo,
Em busca de um Teatro
Para Raros e Loucos
Haverá alguém tão Louco
A ponto de querer
Encontrar a si mesmo?

Poemas da Bugra Loba

Bastava um olhar maroto Um toque sutil um sorriso matreiro um sopro leve ao ouvido uma voz entre linhas E cairia para sempre o medo de ser ridícula.

Oca

Oca

Oca da Bugrinha

Oca da Bugrinha